quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Lavadora de garrafas de vidro.

Figura - Configuração da lavadora de garrafas

Dentre as máquinas da linha de vidro que exigiu uma maior atenção de minha parte foi a lavadora de garrafas pois até então era uma etapa de processo inexistente em linhas de envase em PET. Com a observação e a colaboração da operação pude traçar alguns conceitos básicos. A operação era feita por dois colaboradores que se revezavam durante o almoço e durante o monitoramento das concentrações de soda dos tanques. Também se tinha um cuidado para monitorar a entrada de garrafas quanto a sua posição virada no transporte pois poderia trancar e desconectar a transmição da maquina parando o processo. A lavadora era composta por 5 tanques e um sistema de aquecimento automático por vapor. Os 3 primeiros eram de soda, o 4º era de água e o 5º tanque de enxágüe final. Caso as garrafas saíssem com algum resíduo de soda constatado com o teste de fenol o procedimento era baixar o tanque de esguicho final e enche-lo novamente. O tanque 1 era o primeiro tanque a ser dosado pois a concentração do mesmo era de 1.8% à 2.2%. O tanque 2, 1.6% à 2.0% e o tanque 3 de 1.5% à 1.8%. O tanque 4 a soda vinha por meio de arraste pelas garrafas que passavam pelos tanques anteriores e não poderia passar de 1.2%. Caso acontecesse era feito correção do mesmo com descarte e acréscimo de água. Quando tinha problemas na bomba de envio de soda 50% para lavadora o procedimento de dosagem era feito com baldes para acertar a concentração dos tanques. No tanque 1 eram colocados mais ou menos 5 baldes de soda 50%, no tanque 2 eram colocados 3 baldes e no tanque 3 eram colocados 2 baldes. O monitoramento era feito toda há troca turno e sempre que se fosse dozar soda 50% era também dozado tantos minutos de DIVO 660 VB 47 (aditivo) para cada tanque de soda. Exemplo: 100 litros de soda 50% é igual à 1 minuto de dosagem de DIVO 660 VB 47 e assim por diante. O resíduo era tirado uma vez por semana, e a limpeza geral da máquina era feito uma vez por mês onde eram descartados todos os tanques e o mesmos era lavados com uma mangueira de 1 1/2 polegada e meia. O valor diário em kilos de resíduo de vidro ficava em torno dos 5 kg pra mais e a borra gerava dois containers por turno. Sempre que era descartado soda da lavadora era avizado o responsável da ETDI para monitoramento do ph. Uma vez por semana era limpado o pré esguicho que fica na entrada da lavadora e os tanques finais onde era feito o enxágüe final das garrafas. Havia um cuidado no inicio das produções para ligar a maquina antes pois ela demorava a aquecer.

Um comentário:

  1. trabalho na ambev e estou atualmente operando a lavadora,gostaria de saber um pouco mais sobre esta máquina,desde ja agradeço a atençao.

    mazinho

    ResponderExcluir